A ficção transformando-se em realidade...

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

A ficção transformando-se em realidade...


Chicobuarqueando a navalha na cara


Ouvindo Chico Buarque enquanto aparava a barba agora a pouco, do nada, percebi uma coisa estranha. Quando dei por mim, estava olhando de canto de olho para um pensamento que surgiu do nada entre uma navalhada e outra. Um sorriso brotou na velha cara escanhoada no momento que descobri, que possuo uma riqueza que poucas pessoas tem: sou dono do meu próprio tempo, trabalho o mínimo possível, o suficiente para pagar as contas e usar o tempo para desfrutar com quem se gosta e fazer o que da prazer e isso não tem preço.. estou sem trabalhar a alguns meses, e achando ótimo, to desfrutando a coisa mais importante da vida , "meu próprio tempo pra escutar as musicas que gosto, fazer comidas..viver sem pressa..e agora atribuição ?

Tocando Vitrines neste momento.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Abismos ..

Hoje eu revisitei tantas coisas, lembranças que foram se sedimentando com o passar do tempo e se fossilizando, não sei ao certo se em mim ou na minha história, talvez nesta coisa in decifrável que chamamos passado.

Reli blogs próprios e alheios, assisti vídeos, revi fotos em que fui, ao mesmo tempo o ator principal e coadjuvante de um enredo que entrelaçou vidas, desejos e magoas.  Senti um misto, nostalgia misturado com a alegria de ter vivido tudo isso como quem se joga do abismo sem paraquedas.

E agora, aos 48 anos,  olho para o que passou e percebo que cada situação e pessoas que passaram por e em mim,  me colocaram onde eu deveria estar hoje, e este lugar não esta fora de mim.


Acho que estou finalmente crescendo pra dentro, criando asas para sobrevoar o aquele lugar misterioso, onde posso, do alto, observar meus meus sonhos e pesadelos e escolher a melhor rota a seguir

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Ritos de passagem


"Cada um que passa em nossa vida passa sozinho, mas não vai só, nem nos deixa sós. Leva um pouco de nós mesmos, deixa um pouco de si mesmo. Há os que levam muito; mas não há os que não levam nada. Há os que deixam muito; mas não há os que não deixam nada. Esta é a maior responsabilidade de nossa vida e a prova evidente que duas almas não se encontram ao acaso."
(Antoine de Saint-Exupéry)




Faz alguns meses que não posto aqui no blog, o tempo tem me cobrado caro o tributo para chegar onde pretendo ...vou continuar este posts aos poucos, talvez amanhã escreva mais alguma coisa aqui ..

sábado, 13 de agosto de 2011

...

 

Gosto de  reticências, elas  abrem possibilidades inusitadas de desnudar sentimentos através de palavras não escritas...
Tem a capacidade de perceber no murmurar do silencio, o pulsar do coração e o som da respiração alheia. 
Escutar o (en) canto de um galo aqui, um passarinho que pia acolá. Olhar a lua no azul profundo do ceu e sentir o tempo se derramar sem pressa no desenrolar das horas, e, quando se dá conta, a gente já se misturou tanto que nem sabe mais onde começa um e termina o outro...
Enquanto isso, a retina capta o brilho do desejo expresso em palavras na tela do computador e neste momento, um risinho bobo insiste em escorrer pelo canto da boca...

domingo, 10 de abril de 2011

Silêncios ..

"E se não quisermos, não pudermos, não soubermos, com palavras, nos dizer um pouco um para o outro, senta ao meu lado assim mesmo. Deixa os nossos olhos se encontrarem vez ou outra até nascer aquele sorriso bom que acontece quando a vida da gente se sente olhada com amor. Senta apenas ao meu lado e deixa o meu silêncio conversar com o seu. Às vezes, a gente nem precisa mesmo de palavras".

(Ana Jácomo)
 

Palavras enganam, e encantam os olhos quando eles querem enxergar a si mesmo em outras retinas. A cumplicidade do silêncio às vezes sussurra no pensamento o que a razão quer esconder. 'Se de repente todo seu chão te mandar olhar para o céu', olhe, siga seu coração, vá viver tudo que esta acontecendo na realidade.

Agora vai, não se esqueça de levar guarda chuva, aqui dentro o domingo esta chuvoso e pode ser que chova lá fora também. Ficarei aqui, sentando na calçada deste mundo virtual, escrevendo silêncios que insistem em gritar alto no ouvido uma frase que diz: Quando cessam as palavras que expressam o desejo, o que resta é muito pouco para manter acessa a chama da paixão.
.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Palavras...

"As palavras sempre ficam. Se me disseres que me amas, acreditarei. Mas se me escreveres que me amas, acreditarei ainda mais.
Se me falares da tua saudade, entenderei. Mas se escreveres sobre ela, eu a sentirei junto contigo.
Se a tristeza vier a te consumir e me contares, eu saberei. Mas se a descreveres no papel, o seu peso será menor.
Lembre-se sempre do poder das palavras. Quem escreve constrói um castelo, e quem lê passa a habitá-lo.
"

(Silvana Duboc)


 
Palavras escritas são o caminho mais curto para chegar ate você. Andar por esta trilha sinuosa me leva a uma praia distante onde palavras trazidas pela brisa do mar balançam suavemente os pensamentos e refresca o calor que arde sem doer.

E assim, habitamos neste castelo que  vai sendo construído aos pouco, com frases suas que vão se encaixando em mim uma após outra. Formando as paredes, janelas e portas dos quartos onde a gente passa os dias a sonhar acordado.

sexta-feira, 11 de março de 2011

Reflexos


Observe com atenção o seu mundo, as vezes a imagem real esconde a verdade refletida.
A distância se transforma em uma ilusão de ótica, e o longe fica mais perto do que se pensa. É preciso estar com os olhos bem abertos e o pensamento leve para enxergar o novo no velho. Sentimentos que hoje são, amanhã podem murchar ou florescer dependendo do quanto de atenção se derrama na flor do desejo...

"E viveram felizes para sempre" ... esta frase, comum nos contos de fadas, nem sempre se confirma na vida real. No aqui agora não existem pequenos príncipes, nem belas adormecidas.   A claridade da manhã acaba por nos acordar do sonho encantado e por mais que a gente queira ficar mais um bocadinho na cama sonhando, a realidade nos joga na correria da vida..

Ela nos faz partir em busca de novas descobertas, novos mundos para preencher os momentos vazios, faz a energia   penetrar fundo nas veias,  mostra o quanto o  coração é capaz de pulsar forte no peito.  Só quando voce se reencontra com a sua verdade, é que o mundo novo te trás de volta a vida..  


quarta-feira, 9 de março de 2011

Cinzas..


É flor do dia, o carnaval acabou e levou com ele a alegria dos dias fáceis de viver. Agora começa um novo ciclo, com novas perspectivas e algumas esperanças sobre o que virá a ser esta nova realidade daqui pra frente. Mudanças se impõem sem perguntar se desejamos mudar.. 

Neste recomeço de ano a vida acena com possibilidades de pensar novas alternativas para o que se tinha como certeza. Necessário fazer acerto na rota, para que se conduza o coração a um lugar mais ameno de se estar. Cuidar para não se perder em atalhos que desvie o pensamento da trilha estreita escolhida para caminhar...

Felizmente a vida não é tão previsível assim, e nem tudo esta preso a tão estrito controle. As vezes, quando menos se espera, tudo muda, o que era calmaria vira tempestade e se consegue enxergar a imagem do muito que sentimos refletida na retina do olhar alheio. Nestes momentos o destino mistura o desejo de se perder, com a vontade de se encontrar, enquanto isso, o Pensamento viaja, puxado por um bando de passarinhos em direção as estrelas...

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Flores..

Hoje me sinto aliviado por aliviar, fui coerente em palavras e atitudes, comigo e com quem divide meus dias. Me situei no lugar que pretendo estar este ano, defini prioridades, refiz planos. É complicado escrever na primeira pessoa, mas hoje vou abrir uma excessão para tentar me enxergar por dentro, ver onde pulsa o desejo, traçar objetivos possíveis, saber o que quero e como cuidar do que tenho, ter possibilidades de comemorar o passar dos anos...

Durante a vida plantei um jardim dentro de mim e nele cultivo algumas flores raras. Me dá  prazer cuidar das flores que já desabrocharam e espalharam suas sementes no jardim da vida, estão maduras, plenas de beleza e enchem meus dias com seu perfume e cores...


Também carece adubar com carinho os brotos, suas pétalas sorriem ao me chamar de pai, são ainda pequenos botões prestes a se abrir para o mundo, precisam de cuidados para não fenecer, tenho que revolver a terra, arrancar as ervas daninhas, regar com cuidado todas as manhãs, cuidar para que continuem a alegrar meus dias...

Em volta deste jardim construí uma vida, onde cabe alguns poucos afetos reais que se entrelaçam com carinhos virtuais, pequenos mimos trocados nas manhãs de folga, fora da correria do cotidiano. Nestes momentos, o encontro se faz pleno e ameniza a saudade acumulada durante os dias que se estendem lentos pela demora de chegar a um lugar chamado voce...

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Anjo..

A vida trás em si as mudanças para um novo tempo, são momentos de resignificar condutas, transformar conceitos, aprender a libertar o coração da prisão do desejo, tentar encontrar o ponto de equilíbrio que nos mantém estumecido por dentro.. pode ser que o futuro traga as respostas certas para as dúvidas erradas..talvez seja a hora de aprender a misturar a espera com a esperança e tentar conjugar o verbo "esperançar"..

Algumas decisões machucam.. lágrimas as vezes caem neste processo, o segredo é transformar a gota salgada do olhar em doce saliva quando esta chegar na boca... é como estar com sede de rio e risos e só ter dinheiro pra comprar uma garrafinha de agua, tomar cada gole bem devagar para que a frescura nos lábios se prolongue no tempo..

A vida é assim, copos se quebram quando menos se espera e derrama tudo aquilo que queremos reter em nós..só devemos cuidar para que os cacos não machuquem os pés descalços..

cantarolei uma musica baixinho, mas acho que você não ouviu..

domingo, 2 de janeiro de 2011

Rotas a seguir..

"Temos rotas a a seguir.. podemos ir.. daqui pro mundo..mas quero ficar porque, eu quero mergulhar mais fundo.."




Este ano pretendo regar mais amiúde a flor do dia no intervalo das manhãs,.. sentir mais vezes seu perfume na minha pele.. ter possibilidades! de encontros plenos,.. quero palavras doces de pertencimento nos lábios,.. ler seus pensamentos na retina dos meus olhos mais vezes,.. preciso de palavras inteiras, cansei de decifrar meias palavras..

Sentir a vida penetrar no corpo sem pudores, revirar os pensamentos e os mais íntimos desejos,.. deixar a saliva escorrer pela boca e transbordar o cálice do desejo,.. saciar a sede e te beber até a ultima gota sem me preocupar com a ressaca do dia seguinte..

É, as vezes a gente se encontra numa encruzilhada do destino, e não tem placa indicando a rota a seguir,..só resta seguir o caminho que o coração escolher..


quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Carrossel

A vida, como num carrossel  passa rápida e volta sempre ao mesmo lugar..A gente se perde na rotina dos dias e se encontra em situações e lugares que relembram momentos compartilhados. As vezes, o mundo nos dá a oportunidade de brindar com champagne cada encontro com se fosse o primeiro, faz o pensamento entrar em sintonia com tudo aquilo que quer vir a ser um dia..

O segredo é não ter pressa de viver o presente, deixar os minutos escorrerem tranquilos pelas horas do dia, esperar o fruto amadurecer e se tornar doce no contato com a saliva. Esquecer o aqui agora  para desfrutar os momentos raros roubados do cotidiano agitado, e quando tudo for inercia, simplesmente dormir, dormir e só sonhar quando acordar..

Logo chegará o tempo do ócio e da distância imposta pelas ferias, ficará na lembrança a voz ansiosa e esperada no intervalo das manhãs, onde encaixar as perguntas de como foi a noite, como será seu dia ? E só se ouvirá o silêncio de uma frase que não é mais composta por palavras...Agora é esperar o carrossel girar, girar e voltar ao mesmo lugar ...

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Final de ano ...

Esta chegando mais um final de ano, este em particular trouxe com ele algumas velhas novidades, o ciclo do recomeço anuncia que é preciso organizar tudo aquilo que ficou bagunçado entre o desenrolar dos meses...


Tempo de catalogar dúvidas e certezas, separar as experiências, identificar o que é pesado de carregar, daquilo que te alivia, e planejar para que a vida siga leve daqui pra frente.. Guardar  sentimentos raros como se fossem pequenas jóias em uma cômoda num canto do peito, colocar em cada gaveta a lembrança de um momento especial...



É  bom descobrir que vale a pena recomeçar mais uma vez, e agora, tentar acertar com precisão o melhor caminho a seguir... Mesmo depois de tudo que foi dito e vivido, a gente pode fazer como na letra da musica  "Posso brincar de descobrir desenho em nuvens; posso contar meus pesadelos e até minhas coisas fúteis"...


No fim, o que fica é a sensação de desfrutar um dia de sol e se refrescar na sombra de nós mesmo .. Importante é saber que lá em baixo, nas cinzas, ainda arde o fogo do desejo como no inicio, porém queimando de um jeito mais brando, mais ameno, mais duradouro...acho que enfim amadurecemos ...

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Voz no ouvido..

Senti saudades..
  
"Tava esperando um telefonema teu
Tava precisando de uma voz no meu ouvido
Tava imaginando teu olhar mirando o meu
Tava desejando um beijo em teu umbigo

Tá legal, falei o que não devia
Me dei mal, mas amanheceu um novo dia
Já esqueci, pensei em ti, decidi:
Tô aqui esperando pra ver se você vem.

Deixa de lado essa tristeza
Beija, afasta esse tormento
Deita nesse amor desarrumado
Chega de perder tanto tempo"...
(Pedro Mariano)

 Ouça, veja, sinta...no final o sinal se revela

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Final de Inverno..

Observo os dias passarem corridos pelo final do inverno e adentrarem ansiosos na primavera, como se, ao renovar o desejo na escolha de um novo rumo,  muda-se a rota traçada, É, o tempo do frio esta passando rápido, logo o calor dos dias voltarão a esquentar a alma fazendo brotar novas flores no peito.

As vezes, a saudade do que não vivemos faz lembrar dias inteiros que não passamos juntos, momentos que ficaram pela metade, aquela cena do filme que não assistimos, encontros plenos que não aconteceram, memórias pra lembrar de esquecer e que insistem em permanecer presente.

Neste inicio de primavera, a lembrança de risos derramados faz brotar saudade de momentos passados. Mesmo em meio a tanta eleição disputada, ferias trabalhadas, matérias estudadas, coisas que movimentam os dias e faz o tempo esperar pacientemente a hora certa numa tarde incerta, quando então o destino  brindará com champagne barata o reencontro daquilo que permanece sempre tão junto..
.   

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Final de férias

As férias vão caminhando para sua finitude, os dias tendem a perder a tranquilidade que a distancia da rotina proporciona e quando menos se espera, lá esta ela de novo: a vida real, a correr pelas avenidas na  pista da esquerda, rápida e veloz ignora as placas de aviso, quer chegar ao objeto do desejo o quanto antes, acelera para estar novamente num lugar pleno, onde o ócio e o cio podem dormir ate mais tarde sem encargos de consciência...


Férias levam consigo algo do passado e trás alguma coisa nova do futuro, nas suas idas e vindas pelo nosso ano temporal, ora trás a felicidade do encontro, ora a contrariedade da ausência: a viagem que choveu e não aconteceu, a inocência que se perdeu ao descobrir palavras proibidas em lugares indevidos, coisas velhas que ficam pelo caminho, enquanto outras novas são encontradas e colocada na mochila pra seguir viagem...


Nesta férias o céu se tinge de tons escarlates misturados ao azul da cor do mar, onde a lua tece anoiteceres rubros, pausa necessária ao tanto de tudo junto misturado que num ritmo frenético vinha tomando nossos dias de assalto, fazendo subir a pressão por resultado inicial, posse emocional, trabalho pessoal, estudo formal, relações finais, compromissos próprios e alheios...


Algumas férias são curtas no tempo mas intensas nos acontecimentos, paciente na espera do que virá, aprendeu que o tempo segue seu rumo sem perguntar o caminho, sabe que mais dia menos dia estará por aqui novamente,... uma pausa no tempo onde se enxergará ao longe, la na frente, o cotidiano dos dias normais esperando sua vez de trazer a realidade de volta...

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Mera coincidência

Não se sabe ao certo como tudo começou ou qual força misteriosa que a fez disparar o gatilho do desejo naquela direção, talvez tenha sido no dia que os olhares encontraram-se pela primeira vez e demoraram-se um no outro mais que o tempo recomendável para safar-se ileso...


Estas coisas acontecem, num pequeno instante, quando  menos se espera, a atração se instala entre os espaços vagos, sobe pelas escadas, desliza  pelos cantos da copa, sai pra tomar sol no pátio, se alastra como fogo no mato seco...ascende pelas pequenas gentilezas que se sucedem no intervalo entre as horas do cotidiano...


Chega um dia que o inevitável perde a paciência e quer pulsar no aqui agora, mesmo sendo este "aqui agora" um tempo proibido, sobrevive em um eterno presente continuo que o destino coloca a sua frente. Cada nova descoberta trás surpresas inusitadas, as vezes chegam em forma de convite, num telefonema, com um pedido, por um email, ou por qualquer outra via que expresse a urgência do encontro... 


A promessa já existia no céu, havia forte indicação nas estrelas e por aqueles dias Marte estava perigosamente próximo de Vênus, isso traduzia-se em um aspecto de conjunção quase exata, uma explosão de sentimentos que não passaria despercebido pelo reflexo no brilho da retina...'seguido a isso um sorriso a pegou como uma teia de onde ela jamais quis sair'...

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Castelo de cartas...

.

Neste começo de julho os dias estão cada vez mais frios, trazem lembrança de ausências presentes, as vezes as horas se enchem de tanto vazio que o tédio parece transbordar do nada preenchendo tudo de insignificâncias... Fazer castelos de cartas usando palavras é como rascunhar murmúrios no ouvido, a gente sente o que foi dito sem precisar entender uma palavra...

Algumas vezes a ilusão desaba, espalhando imagens do passado que ficaram  refletidas na memória do presente, quase sempre retratam olhares que se encontram na esperança de compartilhar vivências que estão impressas na retina da alma...
Ar_mar o telescópio do desejo a procura de estrelas no céu da boca, e sem querer, descobrir constelações no corpo suado...

Castelos de cartas são construções frágeis demais para alicerçar sonhos impossíveis, a gente insiste em colocar uma carta sobre a outra com cuidado para ver que altura o desejo pode chegar, inevitavelmente elas sempre caem...
Nestes momentos o encanto convida a paciência para reconstruir sentimentos, sabem que eles tendem a cair outra vez, mesmo assim alegram-se com a possibilidade de levanta-los, para novamente sentir o coração bater estumecido no peito a cada reencontro...

Assim é a vida, um eterno redescobrir de si mesmo no outro, admirar o seu próprio reflexo brilhando em olhos alheios onde desejamos habitar...Como as cartas do baralho, cada metade forma uma figura que troca entre si sorrisos quentes pareados com olhares incandescentes...Importa não esquecer de acalentar lembranças de momentos raros, e se nesta hora a saudade ficar muito forte, ameniza-la com palavras que encante a retina e sacie o desejo de brindar com champagne barata, momentos plenos ..

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Teus sinais...

Presentes são encantadores quando vem embrulhados em palavras que prenunciam encontros, a palavra que hoje te prende, amanhã te solta, pra te prender novamente depois,..e assim a vida segue por caminhos desconhecidos, sentimentos se expressam em palavras e gestos precisos e preciosos, relembram momentos que se repetem numa eterna despedida e espera de ti...

Palavras tem o gosto de fruta de época, aquela que a retina tem vontade de saborear mas não encontra nas barracas das feiras da cidade... tem que esperar o tempo certo ou ter a sorte de achar alguma temporão.. palavras despertam a sede de saliva e a fome de morder bocas rubras e maduras, e quando a garganta seca, o coração pulsa a procura desta fonte para aliviar a sede de vida... 


Enquanto espera, o destino se desvia da rotina e dobra a esquina do desejo, não sabe quando nem onde vai ser o momento do encontro, mas ele esta lá, latente, a espera dos desígnios do tempo, e quando vem, traz de volta a emoção que se repete cada vez que os olhares se cruzam, cultiva a esperança de ter um espaço no tempo onde o riso derrame da face e se espalhe pelo dia...

E assim o inverno acena para a primavera neste final de outono, a ausência vai acumulando quereres e vontades, tanto que chega a transpirar pelos poros e exalar o cheiro de saudade,.. esta, quer morrer de morte matada, sentindo na cara o tapa violento e cruel antes do coração disparar e parar exausto,.. enquanto isso o tédio espera num canto do quarto a sua vez de esboçar um sorriso amarelo e chamar o encantamento de volta para realidade... 

domingo, 25 de abril de 2010

A flor da pele..

A vida trás escolhas que são mais forte que o nosso poder de decisão, nos faz perguntas difícil de responder, talvez seja melhor deixar o destino dar as respostas certas. Nada existe de errado com o mundo, a vida é assim mesmo, complicada como tem que ser, é deste jeito que ela, a vida, encontra a melhor forma para expressar a dinâmica do tempo ...

"Love Is A Losing Game"  nada acontece por acaso... Neste jogo ninguém precisa perder ou ganhar, só se recebe o que se dá, a vida é uma troca constante, um compartilhar de momentos, abandonar este jogo antes do fim demonstra covardia, frustra os desígnios do destino, e ele sempre volta no futuro pra  cobrar este "se negar a ser o deveria ter sido"...

Sentimentos são permeados por palavras vãs, por mais que se tente interpretar, nunca se tem  a medida exata do que comportam, cada pessoa sente de um jeito diferente, por algum motivo misterioso que não se sabe ao certo...não existe formula pronta, a escolha parece fluir do desejo que emana do coração..

Viver este processo é aprendizagem constante, aprender e ensinar como ser e estar bem consigo e com o mundo. Acho que este é o segredo, estar bem no nosso mundo, interagir com outras realidades numa sucessão de vidas que se misturam com outras vidas..

Colocar palavras na retina dos olhos...penetrar com cuidado pensamentos alheios, navegar as aguas suaves do desejo enquanto os ventos sopram ao encontro de ilhas paradisíacas, e uma vez lá, desfrutar o prazer de compartilhar sentimentos, sentir os anos passarem leves e suaves deixando suas marcas a flor da pele como um sinal a mostrar que valeu a pena viver